Todos os posts de Camila Locks

Ton Sai Pura Escalada

Numa viagem de três meses pelo outro lado do mundo, Ton Sai foi o lugar escolhido para juntar escalada e viagem em família. 

Por Danielle Pinto

Viajar para fora do continente, para o outro lado do mundo, gera uma certa dose de ansiedade. Além é claro de muita alegria e entusiasmo, aquela sensação “me belisca que eu estou sonhando”. Viajar é se jogar num mar de incertezas e possibilidades. E a gente se jogou para aquele cenário de filme, mar azul, areia branca cercado por encostas e paredes de calcário. Nossa viagem em família, – eu, meu companheiro Ingo e nossa filha Alice -, começou com escalada em rocha, na península de Pra Nang, ao sul da Tailândia.


Escalada

Entre os escaladores, a praia de Ton Sai é conhecida internacionalmente pela qualidade e quantidade de vias. A alta temporada de escalada é nos meses de janeiro e fevereiro, e nesta época os setores ficam lotados. Para escalar as vias clássicas é preciso chegar cedo e ter paciência para esperar sua vez. Porém são dezenas de setores e 500 vias em toda a região. Nossa estratégia era caminhar um pouco mais e encontrar setores privados ou menos lotados. As caminhadas mais longas não ultrapassam uma hora, e ainda tem setor na beira da praia. Para quem escala e viaja com crianças, o lugar é altamente recomendado.

Devido ao calor e sol forte também é essencial escalar na sombra. A beleza estética das vias, com formações rochosas pouco familiares, como estalactites e estalagnites, torna a escalada tridimensional. Muitos tetos com agarrões, e tetos com regletes também. A graduação usada é a francesa, e as vias vão do 6a ao 8c+. O tamanho das vias também varia bastante, tem via de 12m até vias de 170m. Também tem piscobloc e passeios de barco para escalar nas ilhas próximas. Muita informação e serviços de escalada, como guia, aluguel e venda de equipamento. Você encontra o guia local de escalada e magnésio facilmente.

Desde de 2011 a comunidade local de escaladores está trabalhando no projeto chamado Thaitanium Project, que visa equipar todas as linhas de escalada com grampos de titanium. Atualmente a maioria das vias já foram reequipadas.
Ton Sai é pura escalada!

Serviços

A acomodação normalmente são bangalows, quarto e banheiro, que variam de $12 a $45. Muito difícil encontrar acomodação com cozinha. Mas você terá dezenas de opções de restaurante para realizar suas refeições. Uma refeição por pessoa sai em torno de $7. Numa viagem longa, isso pode deixar as despesas bem mais altas. Nós ficamos 32 dias em Ton Sai e improvisamos uma cozinha, com consentimento do proprietário.

Como Chegar

Para chegar na praia de Ton Sai é preciso primeiro chegar em Krabi. Você pode optar por avião ou ônibus. De avião a viagem dura cerca de 5 horas, de ônibus 12 horas. De Krabi mais uma hora de taxi, ou transporte público, até a praia de Ao Nang. E de lá 15 min de barco motor até a belíssima praia de Ton Sai.

Fotos Danielle Pinto

A Pandemia

Desembarquei em Bangkok no dia 21 de janeiro, e ali onde a viagem começou recebemos as primeiras mensagens “Se cuidem com o Covid”. Nestes primeiros dias esse perigo parecia algo muito distante, mesmo agente estando geograficamente perto da China. Nas semanas seguintes já se ouvia falar numa diminuição no número de turistas. Toda a região de Pra Nang é dominada pelo turismo de massa, e as consequências já são visíveis, o lixo por toda parte e a natureza perdendo espaço para mega resorts de luxo.

Quando partimos de Ton Sai, no final de fevereiro, a praia já estava vazia, os preços mais baixos, e as pessoas preocupadas com seu sustento. Em Bangkok praticamente 100% das pessoas estavam usando máscaras. Quando embarcamos para Kathmandu, o aeroporto de Suvarnabhumi, estava vazio, sem filas. Fizemos todo o procedimento de embarque em alguns minutos, processo que na chegada tinha levado pelo menos duas horas.

No Nepal a ameaça do Covid distanciou se novamente. No Thamel, região turística de Kathmandu, já não se via tantos turistas. E assim também foi na montanha. A única lembrança da existência do Covid eram os lodges vazios, e os proprietários preocupados com a temporada que não iria acontecer. A noção de que a situação realmente poderia ficar séria foi quando a Índia fechou as fronteiras. Nós estávamos subindo para o acampamento base do Annapurna, e ali percebemos que as férias estavam chegando ao fim antecipadamente. Quando descemos da montanha o Nepal também tinha fechado suas fronteiras. E nós estávamos lá! O Nepal é um país fantástico, com uma séria de problemas, mas muitas belezas e um povo encantador. Tivemos que ficar no país em quarentena do dia 23 de março a 15 de abril.

Acampamento base do Annapurna. Cordilheira do Himalaia Nepal

Danielle Pinto é jornalista, escaladora, yoguin e mãe. Professora de Yoga em São Bento do Sapucaí onde mora. Publica seus trabalho como jornalista e fotógrafa no site imaginate.com.br. Danielle faz parte do time de escaladores apoiados pela SBI Outdoor.

“Flat ou Clip” Qual calçado usar para pedalar?

Dica do Gabriel Isper, piloto profissional Bike Enduro

Você que pedala já deve ter visto muitas pessoas que usam os dois tipos de pedais, independente da modalidade que pratique eles estão presentes (Salvo BMX Freestyle e Bike Trial), tanto para atletas amadores e iniciantes, como também para profissionais. Mas qual tipo de calçado usar com esses pedais? Como saber o que é melhor pra mim? Ler mais

Como limpar equipamentos de escalada

Os equipamentos de escalada são expostos a diversos tipos de sujeiras e elementos que podem diminuir a vida útil deles. Cuidar bem dos equipos faz parte do processo da sua segurança. Onde e como você guarda é tão importante quanto como você os utiliza na rocha. Guardar equipamentos limpos, não significa deixá-los com cara de novo, apenas guardá-los em bom estado, funcionando corretamente,  livre de sujeiras, em locais arejados e longe do sol. Ler mais

Dica de treino de escalada para iniciantes

A entrada da escalada como esporte olímpico (a estreia acontecerá este ano nas olimpíadas de Tokyo) tornou o esporte mais popular. No Brasil houve aumento no número de academias e muros de escalada, também já é possível perceber o aumento de frequentadores nas montanhas e falésias.

A escalada, quando escolhida como esporte regular, exige disciplina e cuidados para evitar lesões e aumentar desempenho.

O atleta profissional Cesar Grosso, que pratica escalada há 25 anos, compartilhou conosco algumas dicas valiosas para quem está começando a escalar e pretende montar um treino. Ler mais

“Color skills or hospital bills” Dicas para arrumar os equipamentos no rack

Texto Eliseu Frechou

Escalador Eliseu Frechou. Foto Lisete Florenzano.

Uma dúvida frequente de quem está iniciando na escalada tradicional, é como arrumar os equipamentos no rack, de maneira que não atrapalhe na hora de achar “aquela peça” no momento mais crucial, que é o de colocar a proteção. Junte isso a cena de um escalador longe da última costura, que está com os braços cansados e prestes a cair porque as agarras são ruins. Horror! Terror! Morte iminente!

Além da dica de organizar as peças por tamanho, saber de que lado estão os cams, as nuts, costuras pequenas e médias, há anos eu escolho mosquetões de determinadas cores para carregar equipamentos específicos. Ler mais